• Carolina Vivas

Atualizado: Abr 17

As esmeraldas colombianas são pedras muito valorizadas. Os cabochões opacos são altamente apreciados por designers e colecionadores.

Foto: Cortesia do Oscar Bautista


As esmeraldas pertencem ao grupo dos berilos. Compartilham esta classificação com pedras tão fascinantes como a água-marinha e a morganite. Seu nome vem do grego "smaragdos" que significa "pedra verde" e sua coloração deve-se à presença de cromo e/ou vanádio.


Na escala de dureza de Mohs, a esmeralda encontra-se na faixa de 7.5 a 8.0, logo abaixo dos diamantes e dos coríndones (rubi e safira).


A esmeralda verde-azulada: a tonalidade que mais gosta


Embora sejam extraídas de diferentes partes do mundo, como Brasil e Zâmbia, as esmeraldas da Colômbia são as mais apreciadas. As brasileiras têm um tom verde-amarelo, enquanto as zambianas atingem uma coloração mais verde-azulada, como acontece com as colombianas.


A combinação dessa cor com um matiz intenso, somada a um bom cristal com menos inclusões visíveis, é o que confere maior valor à gema.


Lapidando as esmeraldas para revelar seu charme


As esmeraldas com cristal são facetadas em diferentes formas, como a redonda, oval, lágrima e quadrado. No entanto, um dos cortes mais conhecidos é aquele que leva o seu nome: “o corte esmeralda”. É uma forma quadrada ou retangular, com os ângulos despontados, e escalonada.


Escolhendo cabochões para as esmeraldas opacas


Mas nem todas as esmeraldas são cristalinas. Na natureza também existem opacas e sem brilho, e é a habilidade do lapidário a que as faz ressaltar e serem tão desejadas por designers e colecionadores.


Quando não há cristal, são lapidadas em cabochão: lisas e sem facetas. A presença de uma cor mais viva e de uma forma menos comum, confere-lhes maior valor no mercado.


Foto: Esmeraldas colombianas em cabochão | Cortesia do Oscar Bautista



O protagonismo das esmeraldas colombianas: o caso de Fura e Tena


Trata-se de um par de esmeraldas provenientes de Muzo, no departamento de Boyacá, na Colômbia. A Fura, com peso aproximado de 11.000 quilates (mais de 2 quilos de peso), era considerada a maior esmeralda do mundo até 2010; a Tena, com 2.000 quilates (quase 1 quilo de peso), era a mais valiosa até então.


Quanto ao preço da Tena, está estimado em milhões de dólares, embora seja considerado incalculável visto que não existe outra esmeralda no mundo com características semelhantes que sirva de referência.


Um pouco da história indígena


Diz-se que as pedras foram batizadas como Fura e Tena em homenagem à lenda dum príncipe e duma princesa Muíscas (um povo indígena da Colômbia), que amavam-se antes da chegada dos conquistadores espanhóis. Dizem que, como seu amor era impossível, o Tena suicidou-se pela Fura. E a Fura, na sua dor, pegou no corpo do seu amado e chorou lágrimas que transformaram-se em esmeraldas ali, nas montanhas.


Definitivamente, quando se trata das esmeraldas, todas são preciosas, fabulosas e deslumbrantes. É incrível pensar que, dentro das formações rochosas e depois de centenas de anos, sejam criadas gemas tão impactantes que um dia vão adornar o gosto de personalidades; e outras, tão grandes e pesadas, que farão parte da ornamentação de lugares e até serão exibidas como peças de museu pelo seu valor incalculável.


Foto: cortesía do Oscar Bautista

9 visualizações
10/10